(61) 3142-0750 / (61) 99975-7509 Suporte comercial@cooperx.com.br

Prezados Clientes e Parceiros, 

Com o intuito de divulgar alertas relacionados a Segurança Cibernética bem como alertá-los da importância imediata da aplicação de ações para a proteção  digital de suas empresas, o Núcleo de Segurança Cibernética COOPERX compartilha abaixo o comunicado emitido pelo Centro de Prevenção, Tratamento e Resposta à Incidentes Cibernéticos de Governo (CTIR Gov). 

O alerta foi emitido na data de hoje devido ao grande aumento de empresas reportando a  criptografia e sequestro de dados de computadores pessoais, corporativos bem como o sequestro e criptografia de infraestruturas completas de empresas, mediante ao pedido de resgate para a recuperação de dados. 

Caso necessário, a COOPERX está a disposição de sua empresa para apoiá-los para na realização de serviços de identificação de possíveis fragilidades de segurança e ameaças em suas infraestruturas bem como realizar treinamentos sobre boas práticas quanto a segurança da informação a serem seguidas por seus colaboradores. 

Para contatos, envie um e-mail para comercial@cooperx.com.br.

Nosso agradecimento ao CTIR pela divulgação das infomormações.

Segue Comunicado:

Fonte: https://www.gov.br/ctir/pt-br/assuntos/alertas-e-recomendacoes/alertas/2022/alerta-09-2022

Publicado em 21/03/2022 17h02

1. O número de ataques de Ransomware é uma realidade cibernética, que as instituições precisam lidar. Ameaças à disponibilidade da informação por ações desta natureza impactam diretamente os negócios de organizações de todos os segmentos. As redes governamentais também são vítimas deste tipo de ameaça. Neste sentido, o CTIR Gov tem acompanhado o aumento de casos envolvendo o ator malicioso identificado como VICE SOCIETY.

2. VICE SOCIETY é um grupo que utiliza ataques do tipo “Ransomware” que pode infectar várias versões do sistema operacional Windows. O VICE SOCIETY atua contra diversos setores, utilizando como vetor de entrada, campanhas bem sucedidas de phishing, o reaproveitamento de credenciais vazadas e serviço remoto de impressão que esteja vulnerável (CVE-2021-34527). O referido grupo tem a capacidade de empregar algoritmos de encriptação, com objetivo de solictação de resgate, assim como replicar-se, por movimentação lateral, através das redes corporativas.

3. O Centro de Prevenção, Tratamento e Resposta à Incidentes Cibernéticos de Governo (CTIR Gov) reforça as medidas de prevenção e reação a ataques de Ransomware citadas nos Alertas e Recomendações já publicados anteriormente, e destaca as seguintes ações:

  • Criar ou reforçar campanhas de conscientização de usuários sobre como identificar e reportar e-mails de phishing e como se proteger de ataques de engenharia social;
  • Definir uma política específica de controle de senhas administrativas de sistemas críticos, adotando a autenticação de multifator para acesso a estes recursos;
  • Implementar o princípio de privilégio mínimo que garanta que usuários tenham o nível mínimo de acesso necessário para cumprir suas tarefas;
  • Desabilitar as funções do servidor de impressão em todos os computadores onde ele não for necessário;
  • Implementar regras de firewall baseadas em feeds de threat intelligence que bloqueiem acesso a sites ou IPs maliciosos, URLs de phishing, proxies anônimos, rede Tor e serviços de anonimização;
  • Desativar o Windows PowerShell, caso não seja utilizado, uma vez que variantes de Ransomware usam este recurso para serem executados;
  • Reduzir a superfície de ataque, evitando a utilização de protocolos inseguros ou programas de acesso remoto. Se acesso do tipo RDP for absolutamente necessário, restringir IPs de origem e exigir uso de autenticação de múltiplo fator (MFA);
  • Promover a imediata segmentação ou segregação (air gap) de ativos identificados como de maior risco na análise de risco da instituição;
  • Atualizar os Sistemas Operacionais com os mais recentes patches de segurança, respeitando os procedimentos para garantir a disponibilidade com a aplicação de medidas mitigadoras;
  • Monitorar continuamente dispositivos conectados à rede corporativa, com especial atenção a atividades anômalas relacionadas a processos de login; e
  • Implementar e validar um Plano de Continuidade de Negócio (PCN).

4. Quando se trata de PCN, a gestão de backups de dados se destaca, quanto a este aspecto sugere-se:

  • Adotar políticas de execução de backup, incluindo um plano de recuperação com base no impacto que sistemas e processos específicos possuem na organização, com procedimentos e testes de restauração;
  • Definir um segmento de rede separado para dispositivos de armazenamento de backup, permitindo acesso apenas a servidores que estão sendo copiados;
  • Utilizar a separação lógica de tarefas, definindo credenciais distintas da operação de rede e específicas para operações de backup; e
  • Considerar manter cópias offline, desta forma inacessíveis a um usuário malicioso.

5. Recomenda-se ainda analisar, particularmente, as seguintes referências:

6. O CTIR Gov, em concordância com o previsto no Decreto 10.748/2021, solicita que as entidades responsáveis pelas Equipes de Prevenção, Tratamento e Resposta a Incidentes Cibernéticos Setoriais orientem a constituency de seus respectivos setores sobre o tratado nesta recomendação, de acordo com suas diretrizes e políticas específicas.

7. Outrossim, cabe a leitura atenta, por parte de todos os Órgãos da Administração Pública Federal, do Decreto citado disponível em:

8. Por fim, o CTIR Gov indica a consulta frequente aos alertas e recomendações divulgadas em:



Atenciosamente.

Equipe CTIR Gov

Fonte: https://www.gov.br/ctir/pt-br/assuntos/alertas-e-recomendacoes/alertas/2022/alerta-09-2022